0 Flares 0 Flares ×

Louvemos e glorifiquemos a Santíssima Trindade pelo dom precioso de São José. A sua santidade revela um edifício humano belo e harmonioso onde Deus irradia de forma invulgar.

1-     Beleza da pessoa de São José.

A beleza da pessoa de São José transparece da palavra de Deus.

O jovem José, no seu silêncio, diz-nos imenso sobre a sua personalidade. Uma personalidade madura pela profunda e bela sintonia entre as dimensões humanas e as divinas. Dimensões humanas elevadas com a sua fé e a ação da graça de Deus.

A sensatez faz parte da sua vida, pensando e agindo de maneira ponderada assuntos densos e difíceis. Faz parte da sua maneira de ser, pois é pessoa discreta e não se coloca no centro, compreendendo onde se coloca o principal ou o centro da questão. Daí que seja o homem que tem noção dos acontecimentos e age com eficácia rodeada de alta dignidade.

Uma pessoa enamorada. Enamorado pela pessoa mais formosa, uma verdadeira Mulher bíblica.

Maria estava desde cedo no seu coração e no seu sonho de vida. Podemos imaginar quanta alegria a jovem Maria não lhe trazia. E bastava só pensar nela. Certamente que agradecia a Deus este dom precioso e único: Maria de Nazaré.

A sua grandeza brota diante do Mistério da Incarnação. Aqueles primeiros sinais de gravidez de Maria. O seu pensamento, a sua oração, o seu caminho em busca de uma resposta que enchesse o seu coração e não pusesse em causa a dignidade da Mulher grande e bela que tinha escolhido.

E esse tempo de espera até encontrar resposta permite descobrir que nunca se excede, nunca deixa de amar, nunca deixa de se abrir a Deus. Foram momentos da sua grandeza que Deus saboreou na beleza da doação de José, abandonado inteiramente a Deus e nunca deixando de amar, de confiar e de se entregar.

Mas no momento de Deus, por sonhos é revelado o Mistério que ele tenta compreender. A revelação dos sonhos do José do Antigo Testamento trouxe vida abundante, misericórdia, reconciliação e paz. Em São José o sonho que viveu trouxe o acolhimento do Deus da Vida, do Deus da misericórdia e da paz, o Filho do Altíssimo. E trouxe uma alegria indiscritível de saber que não precisaria de se afastar. É-lhe pedida esta missão: de acolher a Mãe de Deus e o Seu Filho: “pôr-Lhe-ás o nome de Jesus”. O nome é um elemento de identidade tão importante e logo com a força desse nome: Jesus. E significa o vínculo que São José terá com este dom precioso do Filho de Deus.

2-     Maria testemunha a grandeza de São José.

Quem mais eloquentemente nos fala e diz de São José é a sua esposa, Maria de Nazaré.

Maria estava enamorada de São José. Admirava n’Ele tudo. Admirava o seu amor a Deus, a sua docilidade, educação, inteligência, a sua simplicidade, a capacidade de trabalho e a maneira tão elegante como a tratava e cuidava. São José era o sonho da sua vida que Deus tinha colocado ao seu lado. Ela sabia que com ele seria feliz, com ele realizaria a vontade de Deus.

Mas tendo Deus manifestado surpreendentemente um projeto tão grande e belo, o da Incarnação, tendo respondido com a docilidade o seu sim, percebeu que José teria de responder com atitude semelhante quando e como Deus quisesse.

Certamente que Maria rezou por José. Mesmo nesses momentos, sempre dizendo sim a Deus, esteve em comunhão com José pela justiça devida, mas sobretudo para que ele compreendesse o momento de Deus, belo e exigente.

Este segredo já revelado pelo sinal da gravidez, numa total obediência e entrega a Deus, não quis ser Maria a falar. Sendo serva deixou que fosse o Senhor a revelar a José que esse sinal escondia a profecia: “ A virgem conceberá e dará á luz um filho. O seu nome será Emanuel”.

Ainda hoje, Maria nos apresenta São José, como modelo do crente, do discípulo obediente, que se entrega num total despojamento de si.

3-     Jesus: centro da vida e da missão de São José.

A vida e a missão de São José só tem sentido e compreensão no mistério do Verbo Incarnado, Jesus, o Filho de Deus.

A sua maneira de ser e de estar, a riqueza da sua personalidade, a frescura e profundidade da sua fé, a sua capacidade de entrega estão profundamente relacionadas com o Mistério de Jesus. Por isso ele é o “servo fiel e prudente”, “constituído chefe da sagrada família, para guardar com paterna solicitude o Filho Unigénito de Deus”.

José patriarca de genuína e profunda fé faz sua caminhada nas noites de abandono e de espera silenciosa de uma resposta, um sinal. Na noite sonhou e ouviu do Anjo convite a seguir avante amarrando na sua missão, sem medo e com amor.

A missão de cuidar de Jesus. Ele acolheu-O com alegria no ventre de Maria, assistiu ao seu nascimento, defendeu-O dos perigos, pôs-lhe o nome de Jesus, acolheu-O em sua casa, procurou-O e encontrou-O ao terceiro dia. Escutou Anjos, pastores, Simeão, Ana e tantos outros simples e anónimos que falaram sobre Jesus. Escutou Jesus. Ele viveu a experiência admirável de um contínuo e maravilhoso convívio dos anos da vida oculta de Jesus.

A missão de cuidar de Maria: “ Não temas receber Maria, tua esposa, pois o que nela se gerou é fruto do Espírito Santo”. José amou sempre Maria com toda a frescura da sua entrega. Admirou-A, contemplou-A. Escutou-A. Amou-A intensamente. Para Jesus e Maria trabalhou, se sacrificou, se abandonou, se doou numa vida plena, sacrificada, discreta, silenciosa, profundamente bela e santa. Ele viveu uma experiência admirável e única com Maria e Jesus.

A missão de cuidar de nós. Sim porque cuidando de Maria e do Filho de Deus permitiu as maravilhas que todos celebramos e vivemos em Cristo Jesus. Por isso é colocado como Patrono da Igreja. A Igreja colocou a missa votiva de São José, todas as quartas feiras, quando possível. Os santos lhe dedicaram tanta devoção aprendendo com ele as mesmas atitudes e estilo de vida.

0 Flares 0 Flares ×
19 de março de 2021 – Solenidade de São José, Esposo da Bem Aventurada Virgem Maria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*