0 Flares 0 Flares ×
“Desde o início Jesus conhece a oposição e a perseguição, e também a partir destes primeiros momentos manifesta que Deus escolhe os pequenos e nos liberta do mal… A Sagrada Família é obrigada a colocar-se a caminho, como os muitos atuais migrantes, refugiados e deslocados forçadamente”, diz o diretor das Pontifícias Obras Missionárias da Espanha, Pe. José Maria Calderon Castro

Cidade do Vaticano

“Contemplemos Jesus na sua fuga para o Egito, a primeira expressão da ‘Igreja em saída’, como insiste o Papa Francisco”: é o que escreve o diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias da Espanha, Pe. José Maria Calderon Castro, apresentando o tema do Dia da Infância Missionária 2020 – “Com Jesus no Egito, em caminho!” – que na Espanha será celebrada no domingo, 26 de janeiro.

Um convite a sair de nós mesmos

“Esta saída, porém, não é um caminhar sem meta de um lugar para outro, mas uma atitude do coração. É um convite a não olhar para nós mesmos, a não circundar-nos das nossas coisas, a não contemplar-nos constantemente no espelho ou, por que não?, fazendo-nos selfie… ‘Em marcha’ significa que olhamos para fora, a partir daqueles ao nosso redor, que estão próximos de nós, dos quais frequentemente não nos damos conta”, explica o diretor nacional.

Olhar para o Menino Jesus refugiado no Egito

Este segundo ano do quadriênio dedicado pela Pontifícia Obra da Infância Missionária (POIM) espanhola ao tema “Com Jesus Menino em Missão”, propõe olhar para o Menino Jesus refugiado no Egito, que vive na sua carne o sofrimento e a injustiça que afligem os mais fracos.

Deus escolhe os pequenos e nos liberta do mal

“Desde o início Jesus conhece a oposição e a perseguição, e também a partir destes primeiros momentos manifesta que Deus escolhe os pequenos e nos liberta do mal… A Sagrada Família é obrigada a colocar-se a caminho, como os muitos atuais migrantes, refugiados e deslocados forçadamente.”

“Os missionários colocam-se ‘em viagem’ anunciando Jesus àqueles que não o conhecem. E esse grito é também para todos nós, a fim de que não nos detenhamos, mas saiamos para encontrar o outro e Deus.”

“Em nossa sociedade atual crianças e adultos se encontram convivendo com pessoas muito diferentes, que não falam a nossa língua, que vieram de longe e que por vezes têm dificuldade de integrar-se em nossos ambientes. Muitas delas nem mesmo partilham a nossa fé”, afirma ainda.

Partilhar aquilo que somos, temos e vivemos

“Viver com elas, partilhar com elas aquilo que somos, que temos, que vivemos, não somente as ajudará nessa integração, mas nos ensinará a ser mais compreensivos, a ouvir, a olhar com olhos límpidos. Isso nos ajudará a ter um coração maior, mais generoso e mais universal, um coração mais católico! Assim viveu Jesus integrando-se na cultura egípcia.”

Considerar verdadeiro irmão quem é diferente de nós

Neste percurso as crianças da Infância Missionária aprenderão a considerar como verdadeiros irmãos aqueles que “não são como nós”, também convidados a conhecer e a amar Jesus, conclui o diretor nacional das POM espanhola, “e é formidável, porque os pequenos são os primeiros missionários entre seus amigos e companheiros, e muitas vezes também com os próprios pais e familiares”.

No site das POM da Espanha estão disponíveis vários subsídios preparados para aprofundar a dimensão missionária do Dia da Infância Missionária 2020, para as atividades com os jovens, para a oração e para a cooperação, além de um vídeo que ilustra o tema.

(Fides)

0 Flares 0 Flares ×
Dia da Infância Missionária: “Com Jesus no Egito, em caminho!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*