0 Flares 0 Flares ×

Arte, artesanato, tradição e beleza se fundem no esforço de representar o nascimento de Jesus

Os presépios de Nápoles, na Itália, são famosos no mundo inteiro. Nesta época do ano, os italianos se aventuram até a cidade para se maravilharem com uma das maiores tradições da cidade: os presépios feitos à mão.

Conhecidos em italiano como presepe (do latim, praesepium), os presépios têm uma longa história.

O próprio presépio tem suas origens na Itália. E surgiu com São Francisco de Assis, que recriou o nascimento de Jesus pela primeira vez em 1223. Ele, então, celebrou a Missa de Natal com uma manjedoura, animais de fazenda vivos e pastores para dar vida ao nascimento de Jesus em Belém.

Então, a tradição de encenar o nascimento de Cristo se espalhou por toda a península italiana. Após isso, o presépio ao vivo foi seguido pela criação de pequenos presépios feitos à mão com estatuetas e modelos.

A origem do presépio de Nápoles

De fato, a primeira menção histórica de um presépio em Nápoles data do início de 1300, quando os registros mencionam um dentro de uma igreja. Ao longo dos séculos seguintes, os artistas napolitanos começaram a esculpir elaboradas figuras da Sagrada Família em tamanho natural e as colocavam em igrejas dentro e fora de Nápoles. Eles se tornaram, então, mestres do presépio, trabalhando com madeira, terracota, pedra e papel machê.

No século 18, entretanto, essas obras não eram mais exclusivamente objetos de devoção religiosa. Em vez disso, a nobreza e a rica burguesia começaram a contratar figuras semelhantes de temas mais seculares para decorar suas casas aristocráticas e competir com seus vizinhos.

Essas cenas começaram a representar cada vez menos a Palestina na época de Jesus e mais e mais a Nápoles no século XVIII. Havia modelos intrincados de senhoras e senhores da alta aristocracia Bourbon, bem como de pessoas comuns cuidando de seus negócios.

Imagine, então, as ruas lotadas de Nápoles nos anos 1700: ferreiros, padeiros e sapateiros trabalhando, mercadores estrangeiros vendendo seus produtos, animais perambulando, ciganos lendo cartas, pessoas jogando dados, crianças brincando e donas de casa cozinhando.

Da mesma forma, durante esse período, o teatro e a ópera floresciam em Nápoles. O talento napolitano para o drama encontrou, então, seu caminho nas cenas da Natividade.

Os presépios atualmente

Hoje, a tradição do presépio de Nápoles ainda está viva e vibrante. No centro da cidade, por exemplo, fica a rua estreita e movimentada conhecida como Via San Gregorio Armeno. Também conhecida como Via dei Presepi. Esta área possui inúmeras barracas que exibem e vendem o tradicional presepe.

Existe uma grande variedade para escolher. Muitas das oficinas são administradas por famílias que, há várias gerações, vêm construindo trabalhos artesanais de alta qualidade. Outras cenas são feitas de forma barata com moldes de plástico ou terracota, por exemplo.

Além disso, existe também a outra tradição paralela mais secular. Conhecidos como pastori (literalmente “pastores”). Essas figuras não religiosas são baseadas em estereótipos populares e incluem todas as figuras e personagens imagináveis. Das figuras tradicionais, incluindo camponeses, donzelas e moradores de rua, eles também incluem políticos contemporâneos, jogadores de futebol, prelados e celebridades, por exemplo.

Um padeiro tira o pão do forno, um pescador enrola um peixe, as mulheres lavam roupas ou fiam o fio, um homem tosquia ovelhas, um moinho de água gira, por exemplo. São motores elétricos para dar movimento aos cenários e luzes para iluminar oficinas recuadas e grutas. Há, de fato, verdadeiras lagoas de enchimento de água, poços e cachoeiras.

O sagrado e o secular

Fiéis à cultura napolitana, os mundos sagrado e secular se colidem. Todas as cenas acontecem, portanto, ao lado do tradicional Presepe. De fato, em algum lugar nas cenas da vida cotidiana em Nápoles, pode-se encontrar a Sagrada Família rodeada de anjos, magos, pastores, bois e burros.

Enfim, a mensagem é que o nascimento de Cristo não se limita a um lugar e tempo distantes, mas está bem aqui conosco.

Embora outras áreas no sul da Itália também tenham tradições de longa data do Presepe – como a Costa Amalfitana ou Lecce – apenas os presépios napolitanos podem se orgulhar da cobiçada designação da UNESCO como parte do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Clique na galeria de fotos abaixo para ver belas imagens dos presépios de Nápoles.

Fonte: Aleteia

0 Flares 0 Flares ×
Em imagens: os belos e famosos presépios de Nápoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*