0 Flares 0 Flares ×

As 4 Missionárias da Caridade assassinadas no Iêmen fizeram uma corajosa e arrepiante oração pouco antes de sofrer o martírio

Missionárias da Caridade

Cineastas britânicos e iemenitas anunciaram a produção de um filme que retrará o martírio das freiras da Madre Teresa assassinadas pelo Estado Islâmico em Aden, a capital do Iêmen, em 4 de março de 2016.

O filme se chamará “The Garden of Aden“, isto é, “O Jardim de Aden“, que, além de fazer referência à cidade onde ocorreu o martírio, também constitui um trocadilho que contrapõe esse lugar de provação ao jardim do Éden.

Freiras da Madre Teresa assassinadas pelo Estado Islâmico

As irmãs Anselm, Reginette, Judith e Marguerite, todas da congregação fundada pela Santa Madre Teresa de Calcutá, foram atacadas por jihadistas do Estado Islâmico no lar para idosos e pessoas com deficiência que as Missionárias da Caridade mantinham na capital do Iêmen. Além delas, foram assassinadas outras 12 pessoas no covarde atentado, incluindo idosos residentes. Os terroristas ainda sequestraram um sacerdote salesiano, pe. Tom Uzhunnalil, a quem acabaram libertando após nada menos que 18 meses.

Segundo o site National Catholic Register, o produtor Liam Driver defende que a morte brutal das missionárias é um testemunho de que é possível reunir diferentes credos e etnias num trabalho conjunto em prol do próximo, caracterizado pela unidade e pelo respeito mútuo. Ele declara:

“Quando eu era criança, a Madre Teresa teve um papel importante na minha educação porque costumava escrever para a minha mãe e para minha avó. Ainda temos uma carta em que ela dizia estar rezando por mim e pelos meus irmãos pequenos. Então é motivador, para mim, pensar que, décadas depois, eu estou fazendo um filme sobre as irmãs dela que foram martirizadas”.

A propósito das missionárias, Liam Driver acrescenta que “elas não se concentram em si mesmas, mas em Deus” e “no sofrimento dos outros”: esse testemunho “nos transporta diretamente ao coração” do que está acontecendo hoje no Iêmen, país devastado desde 2014 por uma guerra civil entre facções muçulmanas que, segundo estimativas da ONU, já matou mais de 230 mil pessoas e forçou mais de 3 milhões a fugirem das próprias casas.

A última oração

Apesar da brutalidade sofrida, as Missionárias da Caridade anunciaram que não iriam abandonar o Iêmen.

Dom Paul Hinder, vigário apostólico para o Sul da Península Arábica, testemunhou a respeito delas:

“As Missionárias da Caridade morreram como mártires da caridade: como mártires porque foram testemunhas de Cristo e compartilharam a sorte de Jesus na Cruz”.

Ele também revelou que, pouco antes do martírio, as religiosas tinham rezado esta oração:

“Senhor, ensinai-me a ser generosa. Ensinai-me a servir-Vos como Vós mereceis;a ofertar sem calcular o custo;a lutar sem reparar nas feridas;a trabalhar sem procurar descanso;a trabalhar sem pedir recompensa. Amém”.

Via Aleteia

0 Flares 0 Flares ×
Filme retrará freiras da Madre Teresa assassinadas pelo Estado Islâmico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*