0 Flares 0 Flares ×

Eleição de uma figura moderada busca uma conciliação entre conservadores e progressistas na Igreja. Bispo conjuga ortodoxia da fé e compromisso com os necessitados.

Dom Walmor  é recebido em audiência pelo o papa Francisco em 2015.

Dom Walmor é recebido em audiência pelo o papa Francisco em 2015. (Arquivo/ Arquidiocese de BH)

Aparecida, SP — Dom Walmor Azevedo é eleito novo presidente da CNBB. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) elegeu, nesta segunda-feira (6), como seu presidente Dom Walmor de Oliveira de Azevedo, 65 anos, arcebispo de Belo Horizonte, com mandato de quatro anos a se iniciar nesta sexta-feira, dia 10.

Confira também: Bispos do Brasil elegem novo secretário da CNBB

Considerado politicamente moderado, Dom Walmor se destaca pela sua capacidade de diálogo e, ao mesmo tempo, muita firmeza e liderança na condução da Arquidiocese de Belo Horizonte. Tem um especial cuidado para com a formação do clero e organização estrutural das instituições da Arquidiocese. Em total sintonia com o papa Francisco, Dom Walmor tem dado especial atenção às questões sociais e, internamente na Igreja, à tolerância zero contra crimes de pedofilia e abuso sexual.

A votação dos 296 bispos ocorreu durante à tarde de ontem, 6, na 57ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP), em que Dom Walmor superou Dom Odilo Scherer (cardeal de São Paulo) e alguns candidatos conservadores alinhados a Bolsonaro.

Dom Walmor tem boa proximidade ao Papa Francisco, ocupando, inclusive, cargo na Congregação para a Doutrina da Fé, órgão da Cúria Romana que tem como função cuidar da doutrina e valores cristãos.

Em entrevista coletiva, ontem, o arcebispo pregou a defesa dos mais pobres, da caridade e da justiça. Para o reitor da Escola Superior Dom Helder Câmara, o jesuíta Paulo Stumpf SJ, dom Walmor tem representando uma voz profética em Minas   Gerais, diante das tragédias provocadas pelas mineradoras e contra a exploração mineral sem respeito ao meio ambiente e à população vizinha às barragens de rejeitos. Segundo o jesuíta, Dom Walmor chegou a pedir a quebra de sigilo bancário dos agentes públicos responsáveis por liberação de exploração mineral sem o devido cuidado com meio ambiente e vidas humanas. Em sua coluna semanal na revista DomTotal, Dom Walmor trata frequentemente de temas sociais e políticos da conjuntura nacional, com fortes críticas ao retrocesso em direitos trabalhistas e previdenciários. 

Para o reitor da Dom Helder, além disso, Dom Walmor tem uma especial atenção para com as parcelas mais fragilizadas da sociedade, prioritariamente, os economicamente pobres, desempregados, etnicamente discriminados (afrodescendentes), mulheres, gays e crianças: “tem grande capacidade de diálogo mas, igualmente, muita firmeza na ortodoxia católica.”

Dom Walmor também tem uma relação muito próxima aos jesuítas. Tal é que no dia 29 de agosto de 2012, recebeu a maior homenagem concedida pelo centro de formação dos jesuítas da América Latina, a FAJE (Faculdade Jesuíta), de doutor honoris causa, juntamente com Dom José Maria Pires.

No final da sessão de ontem, Dom Walmor falou à imprensa: “Trata-se de grande  responsabilidade, pois muitos são os desafios. Precisamos trabalhar  unidos para que a Igreja seja, cada vez mais, missionária, ‘em saída’,  conforme nos pede o Papa Francisco, inspirado no Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Para isso, nosso olhar deve permanecer voltado para  os mais pobres, fortalecendo nossas ações no exercício da caridade, do  amor, na busca da justiça, imprescindível para a construção da paz, tão  necessária na atualidade. Cultivemos sempre um coração sensível às dores  dos excluídos, das pessoas esquecidas, conscientes de que Jesus nasceu e  cresceu entre os mais sofridos”.

Atuação

Na tarde de ontem, em nota, a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) manifestou “grande satisfação” a escolha de dom Walmor para comandar a CNBB, destacando sua atuação incisiva “na defesa e preservação do patrimônio cultural de Minas Gerais, sendo um importante articulador do projeto para tornar a Serra da Piedade em Patrimônio da Humanidade pela Unesco”. O secretário de Cultura e Turismo, Marcelo Matte, parabeniza dom Walmor, “com a certeza de que, com suas reconhecidas qualidades éticas e intelectuais, desempenhará um mandato firme, com segura eficiência e amplas realizações”.

Redação DomTotal

0 Flares 0 Flares ×
Novo presidente da Conferência dos Bispos é alinhado ao papa Francisco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*