0 Flares 0 Flares ×

Roma, 22 fev. 21 / 10:11 am (ACI).- O Papa Francisco visitou neste sábado, 20 de fevereiro, a casa da escritora e sobrevivente do Holocausto, Edith Steinschreiber Bruck, localizada na cidade de Roma, Itália.

Bruck, de 89 anos, nasceu na Hungria, mas mora na Itália desde os 20 anos. Sobreviveu aos campos de concentração nazistas em Auschwitz e Dachau, para onde foi enviada com seus pais, dois irmãos e uma irmã aos 12 anos.

Seus pais e um irmão morreram nos campos de concentração. Bruck e seus irmãos restantes foram libertados do campo de Bergen-Belsen pelos Aliados em 1945.

Segundo o Vaticano, em um encontro de cerca de uma hora, no dia 20 de fevereiro, Bruck e o Papa falaram sobre “aqueles momentos de luz constelados com a experiência do inferno dos campos de concentração”.

A conversa também se referiu aos “medos e esperanças para o tempo em que vivemos, enfatizando o valor da memória e o papel dos idosos no seu cultivo e na sua transmissão aos mais jovens”.

 

Ao saudar Bruck, o Papa Francisco disse: “Vim aqui para lhe agradecer pelo seu testemunho e para prestar homenagem ao povo mártir da loucura do populismo nazista”.

Papa Francisco com a escritora e sobrevivente do Holocausto Edith Bruck / Crédito: Vatican Media

“E com sinceridade lhe repito as palavras que proferi, do meu coração, no Yad Vashem, e que repito perante todas as pessoas que, como a senhora, sofreram tanto por causa disto: perdão Senhor, em nome da humanidade”, afirmou segundo um comunicado do Vaticano.

Depois de 1945, Bruck voltou para a Hungria e depois foi para a Tchecoslováquia, onde morava uma irmã. Ele se casou pela primeira vez quando tinha 16 anos e se mudou para Israel. Esse casamento terminou em divórcio após um ano, e foi seguido por dois casamentos e divórcios.

Bruck mudou-se para a Itália em 1954, onde se casou com Nelo Risi, um poeta, diretor de cinema, tradutor e roteirista italiano que morreu em 2015 após uma longa batalha contra uma doença neurodegenerativa.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Risi lutou na frente russa e foi preso em um campo de internamento suíço.

Bruck publicou em 1959 um livro de memórias sobre seu tempo nos campos de concentração e os anos posteriores. Em 2001, o livro originalmente escrito em italiano foi traduzido para o inglês com o título “Quem te ama assim”.

Bruck, uma escritora premiada, também publicou romances, coletâneas de contos, peças e roteiros em italiano. Também dirigiu vários filmes italianos, um dos quais, lançado em meados dos anos 1980, foi proibido para os espectadores menores de 18 anos por sua representação erótica do incesto.

Nos últimos anos, Bruck continuou falando sobre o Holocausto em escolas e universidades.

Publicado originalmente em CNA. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

0 Flares 0 Flares ×
Papa Francisco visitou escritora sobrevivente do Holocausto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*