0 Flares 0 Flares ×

No próximo dia 3 de outubro, em Assis, o Papa Francisco assina sua terceira encíclica, chamada Fratelli Tutti. O texto sobre a fraternidade e a amizade social se insere no conjunto de cartas que até o momento trataram da fé e do cuidado da casa comum. Recorde alguns dos pontos centrais destes documentos que estão inseridos no magistério da Igreja.

Em seu pontificado, e particularmente no momento atual, Francisco tem reforçado a ligação com estas diferentes realidades ligadas à fé e às questões sociais. Falando sobre a solidariedade na série de catequeses “Curar o mundo”, Francisco ensina que “para ser solidária e dar frutos, a interdependência precisa de raízes fortes no humano e na natureza criada por Deus, precisa de respeito pelos rostos e pela Terra”. São duas dimensões da ligação com Deus e o próximo que caminham juntas. A encíclica “sobre a fraternidade e a amizade social” deve reforçar a vivência destas dimensões em nome de uma solidariedade humana.

Luz da fé

Em 2013, no início de seu pontificado, Francisco divulgou sua primeira encíclica, concluindo o trabalho iniciado pelo Papa Bento XVI. A Lumen Fidei – sobre a fé foi dirigida aos bispos, aos presbíteros e aos diáconos, às pessoas consagradas e a todos os fiéis leigos. Francisco falou ao interno da Igreja a respeito da luz da fé, “expressão com que a tradição da Igreja designou o grande dom trazido por Jesus”.

O documento fala da urgência em recuperar o carácter de luz que é próprio da fé, capaz de iluminar toda a existência do homem, “pois, quando a sua chama se apaga, todas as outras luzes acabam também por perder o seu vigor”.

Francisco reflete e aprofunda como é o caminho que a fé desvenda diante dos fiéis e a origem de sua luz “tão poderosa que permite iluminar o caminho duma vida bem sucedida e fecunda, cheia de fruto”.

Em artigo publicado no Portal da CNBB, o arcebispo de Montes Claros (MG), dom João Justino de Medeiros Silva ressalta o modo de Francisco enxergar a realidade com os olhos da fé, citando o parágrafo 18 do documento papal:

Diz ele: ‘A fé não só olha para Jesus, mas olha também a partir da perspectiva de Jesus e com os seus olhos: é uma participação no seu modo de ver’”.

“Quando Papa Francisco propõe dois sínodos sobre a família, um sobre a juventude e outro, especial, para a Pan-amazônia, pode-se dizer que as realidades das famílias, da juventude e da Amazônia precisam ser vistas à luz da fé. Observe-se que estes temas sinodais são menos internos da vida eclesial e mais voltados para a realidade vital das pessoas. A fé cristã não nega a realidade, mas busca enxergá-la de modo mais profundo e com ela se compromete no serviço do Reino”, afirma o arcebispo.

Cuidado da Casa Comum

É neste contexto amplo de olhar a realidade à luz da fé que Francisco se dirige “a cada pessoa que habita neste planeta” na carta encíclica Laudato Si’ – sobre o cuidado da casa comum, considerando a “deterioração global do ambiente”.

Marca este documento a inspiração em São Francisco já no título, com o termo extraído do Cântico das Criaturas. “O seu testemunho mostra-nos também que uma ecologia integral requer abertura para categorias que transcendem a linguagem das ciências exatas ou da biologia e nos põem em contato com a essência do ser humano”.

A encíclica Fratelli Tutti também está relacionada ao testemunho Franciscano. A assinatura do documento em Assis também é simbolismo desta ligação.

Unir a família humana

Na encíclica Laudato Si’ Francisco já faz um convite à comunidade humana em torno de um propósito: “O urgente desafio de proteger a nossa casa comum inclui a preocupação de unir toda a família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e integral, pois sabemos que as coisas podem mudar”.

Lanço um convite urgente a renovar o diálogo sobre a maneira como estamos a construir o futuro do planeta. Precisamos de um debate que nos una a todos, porque o desafio ambiental, que vivemos, e as suas raízes humanas dizem respeito e têm impacto sobre todos nós”, escreveu Francisco na encíclica lançada em 2015.

O cuidado da casa comum, a sua preocupação com a vida no planeta, se expressa em eixos que atravessam a encíclica inteira com reflexões e indicações de atitudes concretas. São exemplos desses eixos: a relação íntima entre os pobres e a fragilidade do planeta; a convicção de que tudo está estreitamente interligado no mundo; a crítica do novo paradigma e das formas de poder que derivam da tecnologia; o convite a procurar outras maneiras de entender a economia e o progresso; o valor próprio de cada criatura; o sentido humano da ecologia; a necessidade de debates sinceros e honestos; a grave responsabilidade da política internacional e local; e a cultura do descarte e a proposta dum novo estilo de vida.

Papa Francisco lançará sua nova Encíclica “Fratelli Tutti” (todos irmãos), em 3 de outubro

CNBB

0 Flares 0 Flares ×
RECORDE ALGUNS DOS PONTOS CENTRAIS DAS ENCÍCLICAS DO PAPA FRANCISCO QUE ANTECEDEM A FRATELLI TUTTI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*